gratitude | adeus 2018


Escrever esse post foi bem difícil porque eu simplesmente não conseguia me lembrar do que havia feito nesses meses. Esse finzinho de ano foi uma loucura tão grande que ficou um borrão na minha cabeça. Depois que consegui fazer um compilado de coisas legais que fiz, fiquei horas olhando pro computador tentando escrever e nada acontecia, mas estamos aqui. Deu certo.

O que posso falar sobre esses meses é que eu sobrevivi. Foram meses de muita exaustão e cansaço tanto mental quanto físico, mas consegui superar mais uma vez. Apesar dos pesares muitas coisas fantásticas aconteceram, por isso vamos focar no que foi bom.

Nesse meio tempo fiz vários rolêzinhos culturais, visitei exposições, assisti várias peças e estudei bastante também. E claro que no meio disso tudo existiram alguns surtos por causa da faculdade, mas sempre superamos, não é mesmo?

Eu e Vic bem rolezeiros no show do Rouge. ❤
Quem me conhece sabe o quanto eu amo o musical Wicked e esse ano ele completou 15 anos desde a sua estreia na Broadway. Teve uma super comemoração por lá no Halloween e aqui no Brasil também organizaram uma comemoração com o elenco brasileiro. Foram dois shows, um em novembro e o outro em dezembro, e euzinho fui nos dois, pois não sou obrigado. haha Os dois foram incríveis e a Grazi acompanhou os perrengues que eu passei pra conseguir comprar os ingressos. Esse musical é muito especial pra mim, então isso com certeza vai ficar guardadinho no meu coração.

Ainda falando de shows, relembrei a infância e fui a um show do queridíssimo Grupo Rouge com a minha amiga Victoria. Foi bem legal apesar de eu não gostar desses shows onde as pessoas ficam aglomeradas na pista.

Uma das minhas amigas de infância se casou e eu fui padrinho de casamento pela primeira vez na vida. Também fui à uma festa à fantasia, na qual fui fantasiado de espantalho.
Saudades desse dia. ❤
E por último fui ao Nômade Festival, mas acabei só vendo o show do Silva. Cheguei 10 minutos antes de começar o show dele e saí assim que acabou, mas foi legal também. E acho que é só isso que temos de relevante.
Eu e meus migos no Nômade Festival. ❤

🌻🌻🌻

 2018 foi um ano louco, cansativo, estressante e bastante desafiador, mas não posso ignorar o que ele trouxe de bom pra mim. Nesse ano eu cresci tanto internamente, me permiti viver tantas coisas que eu não me permitia por medo ou insegurança. Não foi o melhor ano da minha vida, mas também não foi o pior. Aprendi, superei, entendi e aceitei (de forma positiva) tantas coisas e isso me fez evoluir de uma maneira imensurável. 2018 foi um caos, mas posso dizer que no meio do caos eu fui feliz pelo menos um pouquinho.

Acabou o ano, mas eu continuo aqui e agora mais forte. Vamos seguir resistindo.

PS: estou muito numa vibe de colagens, mas acabo morrendo de preguiça no momento que começo a fazer e aí fica essas coisas doidas. haha Mas gosto, pois fica parecendo as coisinhas que faço no papel mesmo. ❤ O que vocês acham?

Um abraço apertado, um sorriso sincero e até mais!

Leiam os posts das meninas também!
BRUNAGRAZI

Comentários

back to top