10.6.18

A volta das borboletas

Foto original: Demetrius Washington // Edição: Guttho Montí

Por muito tempo me senti vazio, completamente sem amor. Eu não sabia mais como era estar apaixonado, como era sentir o coração pulsar mais forte por alguém. A sensação das borboletas no estomago passou a ser uma lenda. Pensei estar imune à paixão e todos os seus sintomas. Nunca mais eu passaria uma noite em claro pensando em alguém.

Até você aparecer. E então eu percebi que estava errado todo esse tempo. Não havia imunidade. Você fez tudo acontecer novamente. As borboletas voltaram e elas não estão só no estomago, eu posso senti-las em todo o meu corpo e é como se elas sempre estivessem aqui. Foi rápido demais. Tão rápido que ainda não entendo.

O primeiro encontro, o primeiro olhar, o primeiro abraço, o primeiro beijo, tudo foi como a primeira vez. Na primeira despedida você levou meu coração embora e eu voltei a ser um adolescente apaixonado. Vou abraçar essa paixão e deixar acontecer. Vamos viver um dia de cada vez e deixar que o destino nos diga o fazer.

Eu vou aceitar a volta das borboletas e vou deixar que elas me façam voar sem tirar os pés do chão, porque eu e você, juntos, devemos viver como se fossemos livres. E quem sabe um dia isso se torne realidade.

Nenhum comentário em "A volta das borboletas"

Postar um comentário