17.10.17

Aleatoriedades

Oi! Faz tempo desde a última vez que nos vimos. Muito tempo. Sinto-me quase como aquelas pessoas que mandam mensagem do nada dizendo "oi, sumido!", o que seria cômico, se não fosse trágico.

Como eu disse no post de retorno, esse blog surgiu em uma época bastante conturbada da minha vida e ele veio para que eu pudesse despejar minhas palavras e assim me ajudar a não me entregar completamente a sentimentos ruins. Porém, eu nunca disse o que realmente aconteceu. Muitas coisas estavam acontecendo, mas veio algo totalmente inesperado. O primeiro post desse blog foi publicado poucos dias depois da morte do meu primo.  

Sentiu? Pois é.

Foto original: @shotbyjames

Esse acontecimento deixou a mim e toda a minha família em um estado quase catatônico (se é que posso fazer uso dessa palavra). Ninguém esperava por isso. Ele era dois anos mais novo que eu e foi o mais próximo que eu já tive de um irmão de sangue. Definitivamente não foi fácil passar por isso. Ele estava morando longe e não nos falávamos com tanta frequência, mas isso não diminuiu o que compartilhamos quando éramos mais jovens. 

Passar por isso me fez repensar muitas coisas. Meu primo estava sempre de bem com a vida e posso dizer que ele amava viver. Infelizmente não posso dizer o mesmo sobre mim. Quando me deram a notícia, a primeira coisa em que pensei foi: "Por que ele e não eu, já que desejei morrer mais vezes do que sou capaz de contar?"  Eu nunca obtive uma resposta clara, obviamente. Mas, entendi que nem sempre vamos ser capazes de entender como a vida funciona. Talvez nunca seremos capazes de entender. Isso tudo serviu para me fazer olhar as coisas de um modo diferente... Eu permaneci vivo por alguma razão. Estava na hora de parar de pensar em morrer. Depois disso prometi que viveria com mais vontade, tentando sempre ir atrás do que acredito. E assim fiz e continuo fazendo até hoje. Às vezes rola uma insegurança, é verdade, mas tento sempre não deixar a peteca cair (mesmo quando é extremamente difícil). 

E desde então minha história com esse blog vem sendo um tanto quanto conturbada. Cheguei até a pensar que ele estava carregado de energia ruim, mas logo afastei esse pensamento por um simples motivo: sou expert em sumir. Se até as pessoas que me vêem todos os dias me acham "sumido", porque seria diferente em redes sociais e afins? E eu já disse que por aqui que tenho minhas fases e que preciso dos meus momentos comigo mesmo. Então, isso é algo normal na minha vida. Só tenho que me acostumar com esse fato. A culpa não é do blog.

Pode até parecer uma desculpa esfarrapada, mas parece que sempre que estou empolgado para manter o blog, algo ruim acontece. É um bem irritante e frustrante ao mesmo tempo ter que lidar com essas coisas. E para vocês não acharem que estou exagerando vou listar algumas coisas que aconteceram desde que fiz o último post por aqui. Primeiro tive um problema com o meu computador e depois com a internet, até aí ok (não), pouco tempo depois tive um problema com o meu celular e perdi grande parte das coisas que guardava lá, fotos, vídeos, documentos, etc. Por isso não abro mão de papel e caneta. Passei por cima de tudo isso e tive uma ideia super legal de um projeto que pretendo falar muito breve por aqui e aí: fui assaltado e levaram meu celular com as fotos que já estavam prontas para o projeto e que por ironia do destino não estavam na nuvem. ¯\_(ツ)_/¯ Não tem como ser motivado dessa forma, infelizmente. E o pior: nem motivação para visitar os blogs que gosto eu tinha. ): Mas, estou aqui (tentando ficar) firme e forte, e totalmente determinado a não desistir do meu bloguinho, mesmo que eu apareça bem de vez em quando e não tenha ninguém para ler as coisinhas que escrevo. É aquele ditado: vida que segue.

Coisas boas também aconteceram nesse meio tempo. Defini o tema do meu TCC (mesmo ainda estando no terceiro semestre), tenho quase tudo planejado e até já conversei com o meu professor orientador. E como já adiantei, estou montando um projeto que irá caminhar junto com o TCC. Estou indo aos poucos agora, ainda tentando superar os acontecimentos, mas vamos seguindo. E eu estou aprendendo a simplificar ainda mais e isso está sendo bem lindo.


Fui extremamente motivado a voltar a escrever aqui pelo meu professor de Marketing, que abriu o blog em sala de aula e na frente de todos os meus colegas (!!!!!!). Não preciso nem dizer que me senti exposto e fiquei totalmente tenso, porque já disse que sempre tive vergonha de mostrar o Falso Escritor para as pessoas que convivem comigo, mas eu sobrevivi e depois ele disse para eu não desistir, pois ele achou tudo muito criativo aqui, desde o nome até as coisas que posto. Eu acreditei. Obrigado, professor!

E antes de finalizar esse post, quero deixar toda a minha gratidão e amor para a pessoa mais especial dessa blogosfora, minha amiga, irmã de alma, fã e ídola: Grazi Lotti. Obrigado por toda a cumplicidade e por me ajudar a não desistir. Você é mais especial do que consegue imaginar. 

Enfim, sinto muito por esse post enorme e por não ter falado nada com nada. Sinto que ficou pessoal demais e isso me deixa um pouco receoso, mas é o que temos. Prometo que vou retribuir todas as visitinhas que recebi por aqui e ler os bloguinhos de vocês. Até mais (claro que não sabemos quando será isso)!


Fiquem com essa música que é o meu vício do momento. 
Fui!

3 comentários em "Aleatoriedades"

  1. Muito feliz que você tenha voltado, e assim tão inspirado! Seu professor tem razão quanto a este blog lindo 😊😘

    ResponderExcluir
  2. Oi Guttho, prazer em te conhecer!

    É a primeira vez no seu blog e fiquei encantada já. Estava eu aqui dando aquela lida goxtosa nos bloguitos da minha lista de leitura e de pelo menos três deles, você estava nos comentários. Eu me senti meio pressionada, à la Julius com aquela cena "quando você menos esperar eu vou estar lá" e resolvi sucumbir à curiosidade e vir te visitar. O resultado? Estou apaixonadinha por aqui. Que cantinho bom de se estar!

    Sobre o post mais pessoal: particularmente eu amo. Meio hipocrisia minha porque são os mais raros no meu blog, mas eu amo ler um pouco mais sobre os meus "colegas de trabalho" (MAOE!) e ver que no fundo, no fundo, todos passamos pelas mesmas crises existenciais, as mesmas dúvidas, as mesmas paranoias. A gente se entende e se reconhece no que lê do outro, sabe? Não passei por uma dificuldade tão profunda quanto à sua com seu primo, mas tenho empatia suficiente pra entender sua dor. É isso a alegria da internet, de compartilhar sentimentos. A gente divide o fardo em pequenos pedacinhos e fica sempre mais fácil de carregar. Obrigada por esse post, pelo seu blog, pela sua história!

    E claro, sinta-se à vontade pra me visitar quando quiser.

    Com carinho,
    Conto Paulistano

    ResponderExcluir