20.5.18

uma página em branco

Eu me sinto perdido. Perdi a minha habilidade de escrever e isso era tudo o que eu tinha.

A minha capacidade de amar intensamente sempre foi a maior fonte de inspiração para os meus rabiscos, por isso todas as vezes que tento transformar meus pensamentos em palavras e tenho um bloqueio, me pergunto se esse bloqueio também existe no meu coração. Será que junto com a capacidade de escrever, perdi também a minha capacidade de amar?

Há muito tempo não sinto o famoso frio na barriga e a sensação de borboletas no estomago. Nunca imaginei que um dia isso aconteceria comigo, mas infelizmente preciso admitir que hoje sou uma pessoa vazia. As borboletas voaram para longe sem a intenção de voltar.

É como se eu estivesse quebrado por dentro. Como se as peças não estivessem encaixadas da maneira correta. Isso me assusta, mas também me deixa feliz.


Me deixa feliz porque sei que se existe o vazio é porque fui capaz de esvaziar, de me livrar de amores que foram maiores que eu e que nunca foram recíprocos. Porque fui de capaz de libertar as borboletas para que elas voassem até alguém que ainda não tinha experimentado a sensação de senti-las.

Ainda me sinto quebrado, mas sei que um dia me sentirei restaurado. A restauração já começou e ela teve início no dia em que eu deixei de amar demais os outros. E assim compreendo que a minha inspiração não era o meu amor intenso e sim a dor causada pela falta de intensidade que recebia de volta. Não perdi a capacidade de amar. Eu apenas aprendi a me amar. Não perdi a capacidade de escrever, eu só precisava entender a razão pela qual escrevia.

Me sinto perdido e ao mesmo tempo sinto que me encontrei. Me sinto contraditório, mas sei que tudo isso é por um bem maior, uma mudança necessária.

Hoje, eu sou uma página em branco, estou começando um novo diário e espero que ele seja repleto de amor, intensidade e reciprocidade. Porque eu me amo intensamente e espero ser capaz de retribuir o meu próprio amor.

3.4.18

gratitude #3 | normal can be good

Março, 2018

O mês de março foi bem legal apesar de ter sido o mês mais tranquilo até agora no quesito “grandes acontecimentos”. haha  Neste mês mais uma vez fui grato pela vida e sua simplicidade, porque foi tudo tão “normal” e agradável ao mesmo tempo que não consigo nem explicar.


No início do mês a Editora Intrínseca juntamente com a Fox Filmes fez pré-estreias de Love, Simon em algumas cidades para promover/divulgar o filme e realizou um sorteio para escolher alguns leitores para assistir e euzinho fui uns dos sorteados. Yaaay! Fiquei bem felizinho, porque nunca ganho nada em sorteios.  A pré-estreia aqui de São Paulo aconteceu no dia 07/03 e foi bem legal. Simon vs. A Agenda Homo Sapiens foi uma das minhas melhores leituras de 2017 e entrou para a minha lista de preferidos, por isso a ansiedade para ver o filme foi algo inevitável. Gostei bastante da adaptação e mesmo com algumas coisas diferentes, tudo funcionou direitinho. E apesar de não ser totalmente fiel ao livro, Love, Simon é sem dúvida alguma, um filme muito necessário por toda a representatividade que traz.

Ainda falando sobre representatividade, sou grato pelo livro Fantasma, que li nesse mês e foi o primeiro livro com uma criança negra como protagonista que tive contato. Achei isso importantíssimo. Fiquei ainda mais grato quando descobri que é uma série e que vários personagens (outras crianças negras com realidades diferentes) que aparecem no primeiro livro terão o seu ponto de vista. ❤

Sou extremamente grato pela minha evolução pessoal que está mesmo acontecendo. Ainda não posso dizer que sou uma pessoa totalmente evoluída e estou longe de ser tão “pleno” como as pessoas pensam que sou, mas posso sentir uma mudança diária em mim e a cada passo me sinto muito feliz por não me afetar mais por coisas pequenas.

Como eu disse no início, esse mês foi bem calminho e por isso não fiz muitas coisas além de estudar e ler, então é isso o que temos para hoje e para mim está ótimo.

"Todos nós queremos que tudo fique bem. Nem mesmo desejamos que as coisas sejam fantásticas, maravilhosas ou extraordinárias. Satisfeitos, aceitamos o bem, porque, na maior parte do tempo, bem é o suficiente." — Todo Dia (David Levithan)
Um abraço apertado, um sorriso sincero e até a próxima!

Leiam os posts das meninas também!
BRUNA ● GRAZI
6.3.18

gratitude #2 | feliz ano novo pra mim!

Fevereiro, 2018

Ele começou ruim. Com perdas. Achei que seria péssimo. Não foi. Logo percebi que realmente há coisas que a gente não perde, se livra. Aquele clichêzinho da vida que a gente só para pensar quando acontece algo conosco. Por que sofrer por algo que não é culpa sua e que você não pode mudar? Não vale a pena.

Há tanto para ser grato que nem sei por onde começar. Por isso vou começar dizendo que nesse mês eu fui feliz. Verdadeiramente feliz.

Não, essa foto não é desse mês, mas quis colocar ela aqui porque representa muito bem o meu momento. by Graziela Lotti

Fiz muitas coisas legais, como ir a um cinema ao ar livre e andar de bicicleta no Parque Ibirapuera – algo simples que mesmo morando a vida inteira em São Paulo, eu nunca havia feito antes – com minha amiga, Pamella. Foi um dos dias mais divertidos do mês – e arrisco dizer: do ano – vou guardar com carinho. Aproveitei muito o meu tempo livre para refletir sobre muitas coisas, para assistir filmes que estavam parados por aqui, para ler, estudar e às vezes não fazer nada, porque dar um tempo para nossa mente também é importante. Minhas leituras foram bastante produtivas e interessantes, estou gostando muito dessa nova forma que estou encarando a leitura (talvez depois eu fale um pouco sobre isso). Fui ao cinema assistir Pantera Negra e foi incrível porque pela primeira vez na vida eu me senti 100% representado em um filme de herói. #WakandaForever

Completei mais um aninho de vida. Yaaay! haha Todos os meus aniversários anteriores foram carregados por uma bad vibe que aparecia por causa da minha Síndrome de Peter Pan que me persegue há anos e um dia antes eu estava chorando as pitangas para Graziela sobre isso. Mas, o mais surpreendente disso tudo é que ela não veio esse ano. Quando o dia chegou eu fiquei tão feliz e tão animado como não ficava há muito tempo, acho que a famigerada evolução está realmente acontecendo e isso me deixa muito, muito, muito, muito feliz! No “meu dia”, eu saí com minha amiga Victoria e alguns amigos dela para assistir um espetáculo no Itaú Cultural e passamos o dia praticamente inteiro juntos, foi tudo tão agradável que eu não consigo pensar em nada melhor pro meu aniversário.

Meu aniversário foi em um sábado (24) e na segunda ganhei uma festinha surpresa dos meus amigos da faculdade. Isso me deixou tão feliz! Eu realmente não esperava, foi um momento lindo. É muito legal saber que você também é importante pras pessoas que você tem no coração. E ainda tinha uma girafinha no bolo! Quer dizer... Não tinha como não morrer de amores. ¯\_(ツ)_/¯

Sou grato pelos meus amigos – todos – por me fazerem sentir tão especial nesse dia e em todos os outros com pequenas demonstrações no meio dessa rotina louca que temos, vocês são incríveis. ❤ 

Esse mês até fiz um "Document your life", mas não gostei muito do resultado dele, por isso vou guardar pra mim e não vou mostrar aqui, mas estou fazendo o de março também e estou gostando de fazer, é tão legal ter esses registros da simplicidade dos nossos dias.

Decidi não fazer tópicos porque eu queria um post bem pessoal, acho que consegui. Apesar de me sentir totalmente exposto com posts assim, acho que eles são legais. Principalmente no momento em que estou vivendo... E são os que eu mais gosto ler na blogosfera. A sensação é de estar escrevendo em um diário, gosto. haha Espero que vocês gostem também. 

Minha mensagem para esse é mês é não desanimar. Mesmo que uma coisa ruim aconteça em um dia, coisas incríveis podem estar esperando por você nos próximos. E tenha sempre em mente que tudo é aprendizado e tudo serve para nos ajudar a evoluir. ❤️

Vou ficando por aqui, um abraço apertado e um sorriso sincero! Até a próxima! 



Minha musiquinha do mês. ♥

Leiam os posts das meninas também! ❤️

GRAZI ● BRUNA

5.2.18

gratitude #1



Olá! Olha só quem reapareceu mais uma vez como se nada tivesse acontecido! Pois é... Eu mesmo.  Acho que estou perdendo o jeito de blogar, mas vamos tentando...

Estou de volta com um projeto muito bacana que fui convidado para participar que se chama “Gratitude”, que nada mais é do que um projeto de posts mensais com coisas/momentos que nos fizeram bem durante o mês. O objetivo é nos fazer perceber que mesmo que nada grandioso aconteça ainda temos algo para sentir gratidão, e também nos fazer parar de dar tanta importância para coisas ruins. Estou embarcando nessa com a Grazi e com a Bruna!  Vamos lá!

Simples

Eu já disse aqui nesse post que tento simplificar as coisas e ver beleza no que é simples, mas nem sempre consigo. Todos os anos eu penso em fazer uma coisa diferente no ano novo, mas nunca dá certo e esse ano não foi diferente, passei em casa com os meus pais. Mas, algo diferente aconteceu: eu simplifiquei. Quando eu estava ali com eles jogando conversa fora e rindo, senti uma coisa muito forte e posteriormente entendi que era gratidão. Gratidão pela minha família, gratidão por ter pais que mesmo quando não entendem 100% as minhas decisões sempre estão ao meu lado me apoiando. Gratidão pela minha vida. Foi lindo.

Leitura agradável

Em janeiro não fiz muitas leituras porque simplesmente não estava na vibe e parei de me obrigar a ler já faz um tempo. Li um único livro que me fez ter reflexões pro mês inteiro. Li “Kindred – Laços de Sangue” e não vou falar muito sobre porque quero trazer um post só dele em breve. Adianto que é um livro pesado, porém com uma leitura muito fácil e me fez refletir sobre como às vezes nos martirizamos por não receber de volta o que fazemos pelas pessoas, muitas vezes nos perguntamos se fizemos o suficiente e tudo mais, porém nem sempre esse problema está em nós e sim nas outras pessoas e nem sempre isso é culpa delas.



Um touro que gosta de flores

Fui ao cinema assistir O Touro Ferdinando e confesso que não estava esperando muita coisa, achei que seria só mais uma animação legalzinha para passar o tempo e tal. Não foi. Esse filme é sobre ser diferente e como isso pode ser visto de forma negativa pelas pessoas. Também é um filme sobre amizade e amor aos animais. Me fez chorar e o final me deixou com o caração quentinho (sempre quis usar essa expressão).

Keep Calm

Em janeiro eu comecei a meditar, ou tentar pelo menos. haha Ainda estou no processo de aprendizagem, não consigo fazer todos os dias e nem sempre me sinto super calmo nos dias que faço, mas posso dizer que sinto uma pequena melhora e espero progredir.

Amor próprio

Em 2017 passei por um processo de amor próprio. Não decidi quando e como isso iria acontecer, simplesmente aconteceu. É um processo bastante estranho para falar a verdade, mas muito incrível. Você para de se importar com tanta coisa somente por estar bem consigo mesmo, isso não é ótimo?! 
Ao longo desse mês evitei muito mal estar a mim mesmo e sou muito grato por isso. Sou grato por finalmente me amar depois de tanto sentir pena de mim mesmo. 


Então acho que é isso gente! Espero que tenham gostado! O post ficou super simples, não consegui colocar todas as imagens que gostaria porque estou publicando pelo celular (sim!), por isso estamos com recursos limitados! haha Prometo caprichar mais no próximo e espero que esse projeto me ajude a voltar de vez pra cá! Até mais! 



Leiam os posts das meninas também! ❤️