meu silêncio & eu


Sou do tipo que demora uma eternidade para responder uma mensagem, que fica dias sem usar o celular, que passa semanas sem fazer login naquela famigerada rede social. Que aprecia o silêncio, que ama ficar sozinho e que vai ao cinema sem companhia. Esses são alguns fatos que fazem esse blogueiro que vos fala ser incompreendido diversas vezes.

Aparentemente eu falhei miseravelmente na matéria que ensinava como usar WhatsApp e afins, porque a pessoa me manda mensagem pedindo socorro e quando vou responder já é a missa de sétimo dia dela. O que seria cômico, se não fosse trágico. Porém, não entendo o desespero das pessoas quando você demora dois minutos para responder. Recebo reclamações o tempo todo. Alguns amigos até fazem piadas falando que conversar comigo por carta ou pombo correio seria mais eficiente. E talvez eles tenham razão. risos Mas esses são os legais. Existem os que levam para o lado pessoal e alegam que eu sempre os deixo no vácuo de propósito, o que não é verdade, porque nunca deixo de responder, só não respondo no tempo que eles querem. Me perdoem, amigos, mas o que eu posso fazer se não sou dependente do meu telefone celular? 

Quanto ao famigerado Facebook... Esse é um caso ainda pior! Fico semanas e às vezes até meses sem dar as caras por lá, só faço isso quando é muito necessário. E na maioria das vezes quando entro, quase ninguém percebe porque mesmo entrando, não posto nada no meu perfil. Também já estou  acostumado com frases do tipo “te marquei em tal coisa” ou “postei uma foto nossa” e ambas são seguidas de um “e você nem curtiu”. Me perdoem mais uma vez, amigos...  Acho que deve ser um saco me stalkear.

A grande verdade é que eu morro de preguiça de todas essas coisas e é super estranho ver como as pessoas são viciadas a ponto de não conseguirem passar cinco minutos sem olhar o celular. E falando nisso... Uma das coisas que mais me irrita nesse universo, é estar conversando com uma pessoa e ela não tirar os olhos da tela. Ah, e quando as pessoas ficam praticamente paradas na sua frente bem na saída do metrô? Como é agradável...  Acho que algumas pessoas não entenderam que essas coisas foram criadas para nos ajudar e facilitar a nossa vida, e não para sermos escravos delas.

Outra coisa que não entendo muito bem são pessoas que não conseguem ficar em silêncio, não sei o que há de errado com ele. Detesto conversar com pessoas que ficam desesperadas para ter um assunto. Se não tem algo muito relevante para falar, por que forçar? É por isso eu prefiro ficar sozinho, no meu cantinho, só eu e meu silêncio. Não gosto de ficar dando explicações sobre minhas mudanças de humor, não tenho paciência para pessoas que não têm nenhuma intimidade comigo e fazem milhões de perguntas sobre a minha vida pessoal e menos ainda para quem fala sobre o tempo dez vezes por minuto só para ter o que falar (nesse caso é até melhor você mexer no celular). E isso não quer dizer que eu não goste de conversar, muito pelo contrário... Mas eu gosto de coisas naturais, de assuntos que vão fluindo sem ninguém ter que forçar nada e se por acaso o assunto acabar, tudo bem, deixa o silêncio acontecer, ele não precisa ser constrangedor. Geralmente acho que falo demais e sempre tenho medo de estar enchendo o saco das pessoas, por isso aprecio as que sabem estar do meu lado em um silêncio agradável.

Algumas pessoas detestam a ideia de estar sozinhas, eu sou o oposto, amo estar sozinho e geralmente esses são os momentos em que eu mais estou feliz. Até porque, quando estou comigo mesmo, sempre me permito ir para um universo paralelo. Só vamos deixar claro que estar sozinho é muito diferente de se sentir sozinho. ;)

Sei que pareço super ranzinza e talvez eu seja mesmo, não tenho culpa de ser uma pessoa de 70 anos (ou mais) presa no corpo de uma de 20, mas juro que sou legal, sério. E se depois de tudo o que falei você estiver se perguntando por qual razão eu tenho um blog, saiba que eu me pergunto a mesma coisa.

Playlist do sumiço

Olá! Quem é vivo sempre aparece, não é mesmo?! Que saudade! Dessa vez não vou me justificar, porque esse blog já tem justificativas demais. Digamos que estive pensando na vida durante esse período e percebi que preciso levar esse blog a sério. Sei que já falei isso muitas vezes e acabei não cumprindo, mas depois conversamos sobre isso, porque esse é um assunto para outro post.

Durante esse hiatus maluco, conheci músicas novas e resgatei algumas, e como música é algo que nunca é demais, resolvi voltar com uma playlist super legal com as que mais ouvi nesse tempinho. Assim, faço carinho em dois coelhos com uma mão só, já que a Babi pediu um post assim há anos e eu nunca fiz. haha 

Enfim, chega de blá blá blá e vamos ao que interessa!

Como vocês podem perceber, sou bem aleatório, nessa playlist tem desde música "pop" de anos atrás até gospel, ou seja, escuto qualquer coisa que seja agradável. ❤ E acho que por hoje é isso! Esse post foi bem rapidinho mesmo, só para dizer que o Falso Escritor está vivo. :) Aproveitem a playlist e até a próxima!

V I N T E


Eu ainda estou um pouco assustado, sem saber o que dizer, mas aí vamos nós...
24 de fevereiro poderia ser um dia normal, mas é o dia do meu aniversário. (O que quer dizer que continua sendo um dia normal pra todas as outras pessoas, mas ok...) E há alguns anos eu temo a chegada dessa data. Não sei o que me leva a isso, mas talvez seja o fato de que as pessoas tenham a famosa “crise dos 25” e eu venho tendo crises desde os 15. Pois é...

O tempo está passando muito rápido e eu claramente não estou conseguindo acompanhar e muito menos sabendo lidar com isso. Chegar aos vinte parecia uma coisa tão distante e aqui estamos nós. Muitas pessoas aos vintes anos já fizeram coisas incríveis e totalmente revolucionárias, enquanto eu estou mais perdido que barata tonta. Ao contrário da maioria das pessoas, eu nunca quis crescer e nunca sonhei em ter dezoito anos para “fazer o que eu quiser”. E isso porque aconteceram coisas na minha vida que me fizeram amadurecer muito rápido e um pouco antes da hora. Por isso essa coisa de ser adulto sempre me assustou, são tantas cobranças, tantos deveres, tanto tudo que você fica: WHAT? Acho que me perdi aqui... Fala sério, gente... Adultos são tão chatos!

Engraçado que mesmo não querendo crescer, o Guttho de quinze anos tinha um plano perfeito pra vida, mas infelizmente nós nos perdemos em algum momento e o de vinte está tentando colocar as coisas no lugar e espero que o Guttho de vinte e um me apareça com tudo prontinho. risos

Provavelmente quando eu reler esse post daqui há alguns dias, nada que escrevi acima vai fazer muito sentindo, mas tudo bem, porque o verdadeiro intuito dele é agradecer. Agradecer ao Guttho de anos atrás por me permitir existir.  Quero agradecer por ter sido tão forte mesmo quando se achava fraco e achou que não conseguiria mais continuar. Quero agradecer pela sua coragem em diversas situações e principalmente por não ter tido medo de defender os seus ideais nos momentos que ficar calado seria a opção mais fácil. E eu sei que às vezes era realmente difícil, você tinha que olhar pro céu e dizer “DISÃS, me ajuda aqui, porque não está fácil!”, mas eu sou a prova de que você se saiu muito bem e que soube lidar com os problemas de uma forma que eu jamais conseguiria. Então, obrigado por escolher continuar!

E a má notícia é que infelizmente nós não somos o Peter Pan e por isso vamos sempre ficar mais velhos nessa data, mas é como diria Inês Brasil: “É aquele ditado: 'vamo' fazer o quê?”. O jeito é segurar a marimba, "monamu"! E eu sei que ainda vamos fazer coisas incríveis! ❤

+QP | Para onde vais?

  Dê play aqui e leia.

Amor, sinto muito que tenhas que partir mais uma vez e dessa vez ainda mais rápido que todas as outras. Queria lhe pedir pra ficar, mas sei que não pode e seria um grande egoísmo de minha parte pedir uma coisa dessas, já que você tentou permanecer inúmeras vezes e vimos que isso não é possível. Pelo menos não dessa vez.

Fico extremamente abalado quando sou obrigado a abrir mão de você, mesmo sabendo que não posso cultivá-lo sozinho. É uma pena que seja preciso mais um elemento para que eu e você possamos estar bem com a sua existência. E é uma pena ainda maior, saber que esse terceiro elemento nem sempre está disposto a cuidar de você tão bem quanto eu, tornando inevitável a sua partida.

Apesar de sofrer todas as vezes que vai embora, entendo a sua partida e torço para que seja uma jornada agradável. Aliás, sempre tive curiosidade de saber para onde vais quando nos separamos e pensando em todas as pessoas que já passaram pela minha vida, são tantos os caminhos que você pode ter seguido que prefiro nem perguntar.

Mas, foi justamente pensando nisso que percebi que não importa para onde vais, desde que esteja disposto a voltar. E espero que algum dia venha pra ficar

***

Esse texto faz parte do projeto Mais Que Palavras. O tema de Fevereiro é "Para onde vai o amor?".
Leia textos de outros participantes: Ana Gabriela | Nathália Alves
 
TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © FALSO ESCRITOR - 2015 - 2016
VOLTAR PARA O TOPO
DESIGN E CÓDIGO GABI MELO